Notícias - Samarco

Publicado 08/04/2013

Projeto Quarta Pelotização (P4P)

Projeto Quarta Pelotização (P4P)

O Projeto Quarta Pelotização (P4P) elevará a capacidade produtiva instalada da Samarco em 37% a partir de janeiro de 2014 e envolve investimentos da ordem de R$ 5,4 bilhões, sendo R$ 1,85 bilhão para as obras do terceiro concentrador, em Germano (MG); R$1,6 bilhão para as obras do terceiro mineroduto (MG e ES); e R$1,95 bilhão para as obras da quarta usina de pelotização (ES).

Com o P4P, a Samarco está implantando: - O terceiro concentrador de minério de ferro na unidade de Germano (Ouro Preto e Mariana/MG), com capacidade de 9,5 milhões de toneladas/ano, aumentando o total para 33,5 milhões de toneladas/ano; - O terceiro mineroduto, que transportará 20 milhões de toneladas/ano de polpa de minério de ferro, perfazendo um total de 44 milhões de toneladas/ano. Esse mineroduto será paralelo aos dois já existentes, com cerca de 400 quilômetros de extensão, ligando as unidades de Germano e Ubu; - A quarta usina de pelotização na unidade de Ubu (Anchieta/ES), que produzirá 8,25 milhões de toneladas/ano de pelotas de minério de ferro, elevando a capacidade total da empresa para 30,5 milhões de toneladas/ano. O terminal portuário de Ubu possui capacidade atual de escoamento de 23 milhões de toneladas/ano e sofrerá adaptações que aumentarão essa capacidade para 33 milhões de toneladas/ano. 

Obras As obras estão dentro do cronograma. A previsão é que o Projeto Quarta Pelotização entre em operação em janeiro de 2014, totalizando 32 meses de obras, que foram iniciadas em maio de 2011. Até o momento, foram concluídos 81,34% do projeto, considerando as atividades de suprimentos, engenharia e construção. Em Anchieta (ES), estão em fase de execução as seguintes obras: pelotamento, filtragem, mistura, forno e espessador (dados de março/2013).

Empregos Ao longo da execução das obras, o número total de postos temporários de trabalho criados pelo P4P é de cerca de 13 mil. Além disso, após a conclusão do empreendimento, serão gerados aproximadamente 1.100 empregos, entre diretos e indiretos, divididos entre as duas unidades. Atualmente, o projeto registra 12.761 mil pessoas envolvidas nas atividades, entre diretos e indiretos. Desse total, 5.534 estão em Ubu (dados de março/2013).

Capacitação profissional A Samarco dá prioridade à contratação de mão de obra local, visando promover o desenvolvimento socioeconômico das regiões onde atua. A empresa também investe na qualificação desses trabalhadores por meio do Programa de Desenvolvimento Profissional, que oferece cursos de capacitação para a população das comunidades vizinhas às unidades industriais, em Minas Gerais e no Espírito Santo. O objetivo é que eles possam se candidatar às vagas criadas pelo P4P, bem como para outras posições, em outras empresas, nessas regiões. A capacitação profissional está sendo direcionada aos cursos de formação, qualificação e aperfeiçoamento para diversas áreas. No ano passado, 840 profissionais se formaram nos cursos na área de construção civil (352 em Minas Gerais e 508 no Espírito Santo). Os participantes recebem material didático, lanche, uniforme e uma bolsa de estudo. Atualmente, são desenvolvidos cursos na área de eletromecânica nos dois estados. Já foram formados 186 profissionais na área de eletromecânica no Espírito Santo e outros 200 participam de nova turma. Já em Minas Gerais são 250 participantes dos cursos de eletromecânica.

Contratação de mão de obra local A contratação de trabalhadores oriundos da Área de Influência Direta (AID) do em­preendimento é uma premissa adotada pela Samarco, visando à dinamização da eco­nomia local, a partir da geração de emprego e renda. São 3.074 moradores de Anchieta, Guarapari e Piúma (cerca de 61% do total do efetivo de trabalhadores no Espírito Santo – 5.012) envolvidos na construção do P4P (*dados de fevereiro/2013).

Fornecedores A Samarco prioriza a aquisição de produtos e de serviços de fornecedores locais, desde que os mesmos atendam aos requisitos da empresa em relação ao preço e à qualidade dos produtos e serviços oferecidos e tenham a competência técnica necessária. São empresas de construção civil, fabricação, equipamentos, restaurantes, pousadas, hotéis, materiais de escritório, entre outros.  Em 2012, apenas no Espírito Santo, as aquisições atingiram cerca de R$ 904 mil. A empresa lançou também, em 2012, o Catálogo de Fornecedores de cidades próximas às unidades de Ubu/ES e Germano/MG. A iniciativa tem o objetivo de alavancar novas oportunidades de negócio nos municípios capixabas e mineiros, por meio da divulgação de produtos e serviços dos fornecedores locais junto às empresas contratadas pela companhia.

Carboneutralização O P4P é o primeiro megaprojeto de expansão no Brasil totalmente carboneutro. Essa foi a primeira vez que uma empresa tomou essa iniciativa, no Brasil, em projetos estruturais desse porte. Ao longo dos quase três anos de implantação do P4P, serão investidos cerca de R$ 1,7 milhão na carboneutralização de aproximadamente 150 mil toneladas de CO2 equivalente. A mineradora assinou três convênios com consultorias e institutos da área ambiental (GAmbiental, Amda e Instituto Terra) para mitigar as emissões de gases de efeito estufa do empreendimento. As empresas são responsáveis pela elaboração do plano estratégico de compensação. Em parceria com a GAmbiental, por exemplo, a iniciativa é o plantio de seringueiras em uma área de 20 hectares na região de Guarapari/ES e a obtenção do selo seringueira ambiental. O selo prevê a  utilização da seringueira como fonte de renda para comunidade local. A ação estipula a compensação de 5 mil toneladas de CO2.

Gestão de Recursos Hídricos Para a Samarco, sustentabilidade é a capacidade que a empresa tem de se desenvolver com transparência e responsabilidades econômica, ambiental e social. A empresa conta com uma gestão ambiental abrangente, que compreende desde ações diretamente relacionadas ao controle dos recursos naturais até projetos de educação ambiental junto aos seus empregados, contratados e comunidades vizinhas às suas unidades. No que diz respeito à gestão de recursos hídricos, a Samarco tem três grandes diretrizes: diminuir a captação de água nova, aumentar o reaproveitamento de água e assegurar a adequada qualidade da água a ser descartada dos sistemas de tratamento de efluentes. O uso da água no processo da empresa sempre foi pensado de maneira integrada, considerando toda a operação. As plantas industriais contam com tratamento total de esgoto e efluentes industriais e reutilização de água. Essa prática de reaproveitamento reduz a necessidade de captação de água nos mananciais hídricos próximos às suas operações. Atualmente, cerca de 90% da água usada na empresa é recirculada. Ações de controle de qualidade da água, preservação de mananciais e manutenção dos reservatórios também fazem parte do trabalho. A Samarco intensificou sua presença nos fóruns de discussão sobre recursos hídricos, com representantes nos comitês das bacias hidrográficas dos rios Doce, Piracicaba e Piranga, em Minas Gerais, e Benevente e Itapemirim, no Espírito Santo. Participando mais ativamente das discussões sobre gerenciamento de recursos hídricos, a empresa espera contribuir para a formulação de uma política pública - em curso no país - para regulamentar práticas de captação e uso industrial da água.