Notícias - Vale

Publicado 05/02/2021

Relatório de Produção e Vendas 2020

Relatório de Produção e Vendas 2020
2020 terminou com a retomada parcial de todas as operações de finos de minério de ferro paralisadas em 2019, o que se tornou ainda mais desafiador em meio a pandemia do COVID-19 e à necessidade de adoção de medidas de proteção aos colaboradores e apoio às comunidades. Apesar dos impactos e medidas relacionados à pandemia ter reduzido a produtividade em todos os negócios e adiado, em 2020, o início dos novos ativos de minério de ferro, a Vale continua confiante de atingir 400 Mtpa de capacidade ao fim de 2022.

No 4T20, a Vale retomou os sites de Serra Leste e Fábrica do negócio de Minério de Ferro e retomou as obras de manutenção de Moatize. O trimestre foi marcado pelo forte aumento nas vendas em relação ao trimestre anterior nos negócios de Minério de Ferro (25,9%), Cobre (15,4%) e Níquel (13,6%).

A produção de finos de minério de ferro1 da Vale totalizou 300,4 Mt em 2020, em linha com 2019 como resultado (a) da retomada das operações como Vargem Grande e Timbopeba; (b) do ramp up de S11D; e (c) de operação do site de Alegria por um ano completo. Esses efeitos positivos foram totalmente compensados por: (a) restrições na disposição de rejeitos em Itabira e Brucutu; (b) atrasos na abertura de novas frentes de lavra em Serra Norte; (c) impactos relacionados ao COVID-19; e (d) pela parada de 4 meses do site Fazendão.

No 4T20, a Vale produziu 84,5 Mt de finos de minério de ferro, 5% abaixo do 3T20, principalmente devido aos maiores níveis de chuvas2 e restrições de disposição de rejeitos no Sistema Sudeste. 

Dadas as restrições de produção, a Vale encerrou 2020 com 322 Mt de capacidade de produção e espera atingir 350 Mt de capacidade ao fim de 2021.

A produção de pelotas da Vale totalizou 29,7 Mt em 2020, 29% menor do que em 2019, como resultado da menor disponibilidade de pellet feed nos sites da Vale e dos ajustes de produção de acordo com as condições de mercado. A produção de pelotas da Vale foi de 7,1 Mt no trimestre, queda de 1,4 Mt devido à menor disponibilidade de pellet feed de Brucutu e Itabira e às manutenções na usina de pelotização de Tubarão 6. Em janeiro de 2021, a Vale retomou as operações da usina de pelotização de Vargem Grande, paralisada desde fevereiro de 2019, adicionando 7 Mtpa de capacidade da planta de pelotização (de 46,8 Mtpa para 53,8 Mtpa). O gargalo da Vale para a produção de pelotas continua sendo a menor disponibilidade de pellet feed em suas operações.

Os volumes de vendas de finos de minério de ferro e pelotas totalizaram 286,1 Mt em 2020, 5% abaixo da produção de finos de minério de ferro. Para atender clientes em 2019, a Vale reduziu seus estoques operacionais, atingindo níveis insustentáveis. Em 2020, a Vale precisou recompor seus estoques operacionais, possibilitando uma maior aderência entre vendas e produção em 2021.

No 4T20, as vendas de finos e pelotas de minério de ferro da Vale alcançaram 91,3 Mt com um prêmio de US$ 4,3/t³. A Vale atingiu vendas recordes para a China no 4T20, totalizando 64 Mt (vs. 58 Mt no 4T19).

A produção de níquel acabado ex-VNC foi de 183,7 kt em 2020, em linha com 2019. Do lado positivo, a produção anual foi sustentada por (a) melhor performance de 9,3 kt em Onça Puma, operando durante o ano completo, após receber autorização judicial4 para retomar as atividades de mina e processamento em setembro de 2019 e (b) aumento de 3,4 kt de minério de origem da Indonésia, devido a operações mais estáveis ao longo do ano. Os impactos estimados do COVID-19 reduziram a produção anual em 7,3 kt em todas as nossas operações de Metais Básicos e a manutenção programada bienal de escopo mais amplo nas operações do Canadá, reduziram a produção em 4,9 kt. No 4T20, a produção totalizou 55,9 kt, 19% superior ao 3T20, explicada por taxas de produção mais elevadas após as obras de manutenção reprogramadas do 1S20 para o 3T20 nas operações de níquel.

A produção de cobre atingiu 360,1 kt em 2020, 5,5% inferior a 2019, principalmente como resultado de: (a) produção 35,3 kt menor devido aos impactos relacionados ao COVID-19, que incluem a decisão de minimizar o contingente de trabalhadores no local, restrições de viagens,  interrupções na cadeia de suprimentos, aumento nos níveis de absenteísmo e atrasos na manutenção de infraestrutura e equipamentos; e (b) redução de 10,8 kt devido à limitação de produção canadense devido às taxas de mineração menores. Essas reduções foram parcialmente compensadas pelo aumento de 22,2 kt de produção devido ao forte desempenho em Sossego, operando com maiores taxas de processamento e teores de cobre. No 4T20, a produção totalizou 93,5 kt, 7% acima do 3T20, principalmente devido à maior produtividade nas operações do Brasil e Canadá.

O Negócio de Carvão retomou suas atividades de manutenção em novembro, com conclusão prevista para o 1T21, seguida das atividades de comissionamento de equipamentos novos e remodelados. O início do ramp-up da mina e da planta está previsto para acontecer a partir do 2T21 e deve durar até o final de 2021. A Vale espera atingir um run-rate de produção de 15 Mtpa no 2S21.

Clique aqui para obter o relatório completo


Fonte: Assessoria de imprensa - Vale