Notícias - Samarco

Publicado 18/06/2019

Universidades vão apoiar e criar soluções para a reparação da bacia do Rio Doce

Universidades vão apoiar e criar soluções para a reparação da bacia do Rio Doce
Foram selecionados 15 projetos de instituições de MG e ES, que receberão aporte de R$ 5,6 milhões para apoio a pesquisas

Quinze projetos de universidades de Minas Gerais e do Espírito Santo foram selecionados para pesquisar soluções para a recuperação das áreas impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão. O resultado da seleção acaba de ser divulgado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig).

No total, foram recebidas cerca de 40 propostas. Para as 15 aprovadas, a Fundação Renova vai fazer um aporte de R$ 5,6 milhões, direcionado a projetos de pesquisa com duração de até dois anos.

As iniciativas têm o objetivo de monitorar e gerar soluções inovadoras para as ações de reparação, uma contribuição fundamental do meio acadêmico nesse processo. Entre os aprovados, estão projetos que promovem o desenvolvimento sustentável, como a utilização do rejeito de barragem de minério para fabricação artesanal de tijolos para a construção de moradias, da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), e o uso do rejeito sedimentado da bacia do rio Doce no desenvolvimento de componentes para a construção civil, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

Há projetos também na área de educação e cultura, como a implantação de uma rede de conhecimento e cooperação entre pesquisadores, alunos e moradores da bacia do rio Doce, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), e ambiental, com o monitoramento do ecossistema em áreas com influência da foz, da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

O líder das ações de Economia e Inovação da Fundação Renova, Paulo Rocha, ressalta a importância do apoio ao desenvolvimento de pesquisas que tragam soluções conjuntas para os problemas enfrentados no processo de reparação: “Existe uma fronteira do conhecimento em vários temas e áreas em que a pesquisa científica é fundamental na busca por soluções. Entendemos que essa chamada vai nos dar a oportunidade de encontrar respostas que, seguramente, irão contribuir para esse processo”.

A seleção foi realizada por meio da Chamada 09/2018 – Pesquisa Desenvolvimento e Inovação, uma parceria entre a Fundação Renova, a Fapemig e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes). O edital abrange financiamento em projetos de pesquisa de até R$ 1 milhão e com prazo de 24 meses para o desenvolvimento.

A chamada faz parte de um Acordo de Cooperação Técnica, firmado em maio de 2017, que prevê parcerias com as instituições para o fomento e financiamento de estudos que tenham como foco a recuperação das áreas impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana.


Fonte: Fundação Renova