Notícias - Samarco

Publicado 21/02/2019

Unidade de conservação no Espírito Santo recebe compensação de R$ 13,4 milhões

Unidade de conservação no Espírito Santo recebe compensação de R$ 13,4 milhões
Administrada pelo ICMBio, na região de Santa Cruz, em Aracruz, a unidade tem 17 mil hectares e a maior biodiversidade de algas marinhas do país

Uma importante unidade de conservação ambiental começa a ser estruturada na costa do Espírito Santo. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Fundação Renova firmaram um acordo de cooperação técnica para consolidar o Refúgio de Vida Silvestre (RVS) de Santa Cruz, no município de Aracruz.

De acordo com o ICMBio, a região de Santa Cruz tem a maior biodiversidade de algas marinhas do país, o que a torna um ambiente fundamental para o crescimento de peixes. A unidade, com área de cerca de 17 mil hectares, receberá uma série de ações que vão possibilitar uma preservação ambiental mais criteriosa, além de atividades de pesquisa, educação ambiental e turísticas.

Serão destinados R$ 13,4 milhões em ações como aquisição e adequação de uma sede na área, contratação de mão-de-obra e disponibilização de embarcações e veículos, além da criação do plano de manejo, que estabelecerá as regras de uso do espaço.

A unidade de conservação é administrada pelo ICMBio e receberá as ações da Fundação Renova como parte dos projetos de compensação em decorrência do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG). O trabalho de planejamento das ações já foi iniciado.

Ação conjunta

As diretrizes gerais foram construídas de maneira coletiva, unindo conhecimento de diversas áreas. Especialistas de entidades ambientais, como ICMBio, Instituto Estadual de Florestas (IEF) de Minas Gerais e Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Espírito Santo (Iema), participaram de uma oficina e elaboraram o documento que direciona e orienta as ações do projeto.

“A estruturação da unidade de conservação será fundamental para garantir que a gestão da área alcance os objetivos de sua criação, que é essencialmente de preservação dos recursos naturais, sendo admitido apenas o seu uso indireto. O projeto também será importante para servir de modelo e fortalecer outras unidades na costa do Estado e do Brasil”, destaca o líder de ações de Biodiversidade da Fundação Renova, Bruno Pimenta.

Saiba mais

- O Refúgio de Vida Silvestre de Santa Cruz (RVS) fica na área costeira do Espírito Santo e foi criado em 2010. A área é uma unidade de conservação da categoria Proteção Integral, em que o objetivo básico é preservar a natureza;

- O RVS de Santa Cruz está inserido no bioma Mata Atlântica e compreende mais de 90% de área marinha, além de ecossistemas de manguezal e restinga;

- A região de Santa Cruz, no município de Aracruz, apresenta grande biodiversidade de algas, considerada a maior do Brasil. É um importante habitat de crescimento de espécies de peixes comerciais e ameaçados no Sudeste brasileiro.

Sobre a Fundação Renova

A Fundação é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar, com autonomia técnica, administrativa e financeira, os programas e ações de reparação e compensação socioeconômica e socioambiental para recuperar, remediar e reparar os impactos gerados a partir do rompimento da Barragem de Fundão, com transparência, legitimidade e senso de urgência.

A Fundação foi estabelecida por meio de um Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.


Fonte: Fundação Renova