Notícias - Samarco

Publicado 06/09/2017

Jovens se mobilizam em Mariana para cuidar do planeta

Jovens se mobilizam em Mariana para cuidar do planeta
Cerca de 100 jovens foram capacitados durante a 2ª Academia do Plantando pelo Planeta

No último sábado (02/09), os cerca de 100 jovens participantes do projeto Plantando Pelo Planeta realizaram o primeiro plantio de mudas nativas na Pista de Caminhada Alameda dos Inconfidentes, em Mariana (MG).
 
No evento, as crianças e adolescentes formados na 2ª Academia do Plantando pelo Planeta receberam os certificados de “Embaixadores da Justiça Climática”. Eles agora têm a missão de sensibilizar outros jovens para a importância de se ter consciência ecológica e de protagonizar a mudança ambiental de que o planeta precisa. “É um movimento que está crescendo, se fortalecendo e que pode mudar a cara, não só de Mariana e do Rio Doce, como do mundo. Não é só o plantio, mas também o cuidado contínuo com estas plantas. É importante que esses jovens se apropriem do que está sendo feito e carreguem a responsabilidade de levar para frente a mensagem de cuidado com o meio ambiente”, afirmou Shymena Guedes, líder das ações de educação e cultura da Fundação Renova.
 
A árvore escolhida  foi o Ipê, planta que floresce do Maranhão ao Rio Grande do Sul, e que é, também, a flor símbolo do Brasil. Em quatro anos, as mudas plantadas já deverão estar florindo. A meta do projeto é o plantio de um milhão de árvores nativas ao longo do Rio Doce.
 
Juliana Alves, secretária de Educação de Mariana, ressaltou a importância da capacitação para a independência destes jovens: “O que me deixou mais cativada neste movimento foi o desenvolvimento de autonomia dos Embaixadores. Não só em relação ao meio ambiente, mas também ao local onde eles estão crescendo. Eles são os atores principais desta mudança”, disse ela.
 
A estudante Jordane Karolayne, de 14 anos, da Escola Estadual Monsenhor Moraes, localizada no distrito de Furquim, ficou encantada com o projeto e disse que levará a ideia para sua comunidade. “Temos que cuidar do planeta que também é nosso”, disse.
 
A aluna da Escola Municipal Dom Oscar, Mariana Marçal, de 12 anos, resumiu o que, para ela, é a missão projeto. “Nossa missão agora é conscientizar as pessoas. Espero que muita gente queira participar conosco. Quanto mais árvores, mais oxigênio e melhor para o planeta. O que achei mais legal é saber que tudo isso começou a partir da ideia de um garoto de nove anos, que agora é um exemplo para a gente”, disse a estudante.
 
Além de Mariana e Jordane, participaram do projeto, em Mariana, alunos das redes municipal, estadual e particular de ensino, além de jovens de projetos sociais e das comunidades atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão.
 
O projeto é uma iniciativa inédita em Minas Gerais, que nasce de uma parceria entre a Prefeitura de Mariana, Fundação Renova e a Plant for The Planet, instituição criada na Alemanha e voltada para o plantio de árvores e mobilização de crianças e jovens.
 
Plantando pelo Planeta
 
Plant for the Planet nasceu em 2007, quando o alemão Felix Finkbeiner tinha 9 anos. Inspirado em Wangari Maathai, que plantou 30 milhões de árvores na África em 30 anos, Félix teve a ideia de incentivar as crianças a plantarem um milhão de árvores em todos os países do mundo. O movimento conquistou o apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Na época, o diretor executivo da entidade, Achim Steiner, foi um dos primeiros a ser fotografado com a boca tapada. A ideia foi lançada por uma agência de publicidade alemã, que ajudou a criar a campanha “Pare de Falar, Comece a Plantar”, desenhando uma imagem que poderia ser reproduzida por qualquer ativista mirim ao lado de uma autoridade ou celebridade. A mão direita do menino ou da menina deve tapar a boca do adulto! A modelo brasileira Gisele Bündchen, engajada na causa ambiental, topou ficar calada. Em Mariana, a cena foi reproduzida pelo prefeito Duarte Junior e, também, o presidente da Fundação Renova, Roberto Waack, que participaram da campanha ao lado dos jovens embaixadores.


Fonte: Assessoria de Imprensa Fundação Renova