Notícias - Gerais

Publicado 10/08/2017

Inspiração com os Britânicos

Inspiração com os Britânicos

Existe em nosso Estado um crescente número de investimentos e busca por inovar e ampliar a divulgação de nossas potencialidades para que o turismo seja um dos vetores da retomada da economia. Temos razões para acreditar, pois caminhamos dentro de um cenário onde o bom diálogo entre os governos municipal, estadual e federal, além do apoio da iniciativa privada, estão construindo importantes alicerces que vão garantir anos de crescimento, não apenas para o turismo, mas para toda a economia capixaba.
 
Entretanto, o trabalho que é feito não exclui a possibilidade de aprendermos com as experiências de outros países, procurando sempre adaptar ideias e ações que por lá são sucesso e que podem trazer bons resultados para o Brasil.
 
Pudemos acompanhar uma iniciativa exemplar do governo britânico, que após as Olimpíadas lançou uma consulta popular com o objetivo de construir um plano que produza um crescimento de 3% ao ano para o turismo, até 2020. A expectativa é de que sejam gerados 8,7 bilhões de libras e criados mais de 200.000 empregos. A proposta estratégica mostra como um alinhamento de marketing com a política do governo traz resultados econômicos. Esta consulta reúne a visão da indústria, hotéis e múltiplos setores do governo - aqueles que mais se dedicam ao sucesso do setor - buscando identificar as prioridades e parcerias em potencial.
 
A estratégia leva em conta quatro elementos: fortalecer a imagem da Grã Bretanha, além de reconhecer suas fraquezas, como gastronomia e hospitalidade; garantir a presença do destino turístico nas prateleiras das agências internacionais; aproveitar a diversidade de produtos e garantir a satisfação dos mercados emergentes, quebrando barreiras da capacidade do transporte aéreo e simplificando os regimes de concessão de vistos. Ou seja, o Governo Britânico entende que o destino tem que continuar sendo visto para ser lembrado, regra básica de marketing. Das lições que podemos aproveitar de Londres, esta talvez seja a de maior importância e a mais difícil, pois exige alto grau de planejamento e pragmatismo comercial.
 
Luiz Fantin, especialista em marketing e hotelaria.



Fonte: WComunica