Notícias - Gerais

Publicado 09/03/2019

Oportunidades para micro e pequenas empresas fornecerem para o setor de Petróleo e Gás

Oportunidades para micro e pequenas empresas fornecerem para o setor de Petróleo e Gás

Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo podem se tornar potenciais e efetivas fornecedoras da Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás. Isso porque somente a Petrobrás compra anualmente cerca de R$ 3 bilhões no Estado.
 
Nesse universo há, pelo menos, 40 tipos de produtos e serviços que podem ser fornecidos ou prestados pelas empresas capixabas de pequeno porte que são especializadas no setor.
 
Segundo informações do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás, da Federação das Indústrias do Estado (Findes), a cadeia produtiva do setor é ampla e, entre serviços e produtos estão: ferramentas manuais, materiais de escritório, móveis e utensílios domésticos , seguros e serviços financeiros, construção e obras civis, entre outros tantos.
 
De acordo com o especialista no segmento e coordenador do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás, Durval Vieira de Freitas, nos próximos cinco anos, a Petrobras vai investir cerca de R$16 bilhões no Estado.
 
Já com relação ao gasto anual de R$ 3 bilhões em produtos e serviços no Espírito Santo, Durval ressaltou que esse valor pode ser superado e explicou que a compras podem ser diretas e indiretas.
 
“O fornecedor e prestador de serviço local precisa entender que não é só a Petrobras que compra. São também operadoras das plataformas, empresas que alugam rebocadores. Há um número grande de clientes pela frente”.
 
Segundo o especialista, para ser uma fornecedora da Petrobras e de outras empresas do setor, a empresa precisa estar com toda a documentação em dia.
 
“Há ainda certificações próprias do setor como as de Qualidade, SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde), Trabalho em altura, entre outras. Há cadastro que, às vezes, não são tão simples. E tudo também tem de estar em inglês, que é o idioma exigido no setor”.
 
Durval ressaltou que o mercado de petróleo e gás é muito vantajoso. Só a Petrobras fatura, por ano no Estado, R$ 20 bilhões. Depois vem a Vale, com R$ 10 bilhões. Isso dá a dimensão do setor”.
 
Ele complementou: “É um setor bem vantajoso, mas que cobra absoluto profissionalismo e foco de todas as empresas participantes. Não há espaço para amadores ou curiosos”. 
 
A empresa de maior volume de compra, Petrobras, divide a sua lista de suprimentos de acordo com a segmentação, que representam também as principais demandas da cadeia de Petróleo e Gás:



Detalhes em anexo: 
- Páginas Amarelas: Bens e serviços básicos. Nesse caso, é dispensada qualquer comprovação documental 
- Operacionais: Itens com um grau maior de criticidade se comparados aos itens de Páginas Amarelas. Demanda comprovação documental. 
- Críticos: Bens e serviços críticos e de alto impacto econômico. Demanda comprovação documental. 
- Estratégicos: Itens chave para a operação da empresa. São de alta complexidade e fundamentais para a execução das atividades. Demanda comprovação documental. 
 
Segundo o fórum, atualmente 434 micro e pequenas empresas estão inseridas na cadeia de Petróleo e Gás, um crescimento de 24% em relação ao ano passado. Um número que ainda pode ser ainda maior e expressivo com muitas oportunidades de negócios.



Fonte: Assessoria de Imprensa Sistema Findes