Notícias - Vale

Publicado 10/06/2017

Descoberto 'novo morador' no Parque Botânico Vale

Descoberto 'novo morador' no Parque Botânico Vale

Um novo habitante foi identificado na mata do Parque Botânico recentemente. Nativo da Mata Atlântica, bioma predominante no local, um indivíduo da espécie conhecida como "ouriço cacheiro" (Sphiggurus insidiosus) foi avistado na floresta que compõe o Parque no final do mês passado, mas somente agora houve a confirmação de que se trata de um exemplar do animal.

De acordo com o supervisor do Parque, Vitor Maciel, apesar de não ser uma espécie rara ou que seja considerada como em perigo de extinção, o registro do animal tem bastante relevância, já que é a primeira vez que um exemplar do tipo é identificado no local. "Isso evidencia a importância do Parque como abrigo de animais silvestres, além de atestar a "saúde" da floresta existente no local", declara.

O ouriço-cacheiro é uma espécie de roedor arborícola, ou seja, que vive predominantemente em árvores, e que pode ser encontrada em áreas de fragmentos de floresta, mesmo naquelas que sofreram algum tipo de alteração. A espécie habita uma diversidade de ambientes, como Cerrado, Pantanal e Mata Atlântica, e, no Brasil, ocorre do Ceará ao Espírito Santo.

Parque tem mais de 98 espécies de aves

Trabalhos de monitoramento de avifauna e mastofauna - respectivamente, o conjunto de aves e de mamíferos de uma região - realizados no Parque Botânico Vale em 2005 e 2008 permitiram a identificação de 98 espécies de aves e outras quatro de mamíferos no local. A mata do Parque é habitat de animais como o gambá (Didelphis aurita), o catita (Gracilinanus microtarsus), o sagui-de-cara-branca (Callithrix geoffroyi) e o tatu-galinha (Dasypus novemcinctus).

Em um passeio pelo local, também é possível identificar aves como o biguá (Phalacrocorx brasilianus) e a biguantinga (Anhinga anhinga), espécies que são vistas em grande quantidade e com frequência no Parque. Trata-se animais que necessitam de áreas de mata bem conservadas como habitat natural e, também, como local para reprodução.

Outras espécies como o periquito-rei (Aratinga aurea), o pica-pau-anão-barrado (Picumnus cirratus) e a saíra azul (Dacnis cayana), entre outros, também podem ser vistas no Parque com certa frequência.

Sobre o Parque Botânico Vale
Com 33 hectares de área verde, o Parque Botânico Vale está localizado no cinturão do Complexo de Tubarão. O funcionamento é de terça a domingo, das 8h às 17h, e a entrada é gratuita.Quem visita o Parque tem a oportunidade de conhecer o primeiro Jardim Sensorial permanente do Espírito Santo, estrutura que tem o objetivo de estimular os cinco sentidos e promover uma forma diferenciada de interação com a natureza. O local conta também com o Vagão do Conhecimento, biblioteca com capacidade para 3.500 exemplares, montada em um vagão de trem, e com acervo de audiolivros, voltado para deficientes visuais. No Parque Botânico Vale está instalado também o único orquidário da Grande Vitória aberto à comunidade. O espaço conta hoje com mais de 350 mudas divididas em 113 espécies. No Parque, o visitante pode ainda frequentar o parquinho e fazer trilhas ecológicas pela área de restauração florestal - que já possui mais de 140 tipos de espécies arbóreas de Mata Atlântica e alguns animais silvestres. Também é possível agendar uma visita guiada de ônibus às instalações da Vale, em Tubarão.



Fonte: Assessoria de Imprensa Vale