Notícias - Samarco

Publicado 14/12/2020

Samarco volta a operar com nova planta de filtragem de rejeitos

Samarco volta a operar com nova planta de filtragem de rejeitos

Previsão é que a empresa volte a produzir pelotas de minério de ferro em Ubu, Anchieta (ES), ainda neste mês de dezembro

A Samarco está com a retomada das operações prevista para a segunda quinzena deste mês de dezembro, quando se espera o começo da produção de pelotas de minério de ferro no Complexo de Ubu (ES), e após finalizados todos os testes dos equipamentos. A empresa já está conduzindo o comissionamento integrado das operações no Complexo de Germano, em Mariana (MG), com a operação de um dos seus três concentradores e da nova planta de filtragem de rejeitos. O comissionamento integrado consiste justamente no teste dos equipamentos que irão operar no momento da retomada. 

Esse processo será feito de forma gradual, inicialmente, com um concentrador em Germano (MG), e uma usina de pelotização em Ubu (ES), ou seja, com 26% da capacidade, com uma produção inicial prevista de aproximadamente 8 milhões/t de minério de ferro por ano. 

O reinício gradual acontece após a empresa obter licenças ambientais aprovadas por órgãos competentes e incorporar novas tecnologias para disposição final de rejeitos. 

Sistema de filtragem de rejeitos 

O sistema de filtragem permitirá que 80% do total de rejeitos a serem gerados, após o beneficiamento do minério, deixem de ser dispostos em polpa em barragens. Este material será desaguado e posteriormente empilhado a seco na Pilha de Alegria Sul. Os 20% restantes, compostos por água e fino de minério, serão dispostos na Cava Alegria Sul, uma estrutura de contenção natural rochosa e mais segura. A água extraída com a filtragem será recirculada no processo produtivo tornando-o mais sustentável. 

O reinício gradual acontece após a empresa obter licenças ambientais aprovadas e incorporar novas tecnologias 

O Monitoramento

Nos últimos anos, a Samarco ampliou o Sistema Integrado de Segurança, que inclui o Centro de Monitoramento e Inspeção (CMI) e conta, atualmente, com cerca de 1.000 equipamentos de última geração, além de equipe especializada que realiza inspeções em campo. Todas as estruturas geotécnicas da empresa estão estáveis e são monitoradas 24 horas por dia, sete dias por semana. As estruturas também são acompanhadas por auditorias independentes e possuem Declaração de Condição de Estabilidade (DCE).

A empresa possui também um Sistema de Emergência orientado pelas normas e procedimentos que compõem o Plano de Ações Emergenciais de Barragens de Mineração (PAEBM), com sirenes instaladas e testadas mensalmente, fortalecendo a cultura de segurança e prevenção nas comunidades.

Importância econômica 

A Samarco sempre desempenhou papel importante nas economias mineira e capixaba. Em 2015, a Samarco ocupava a 12ª posição entre as empresas que mais exportavam e a receita da empresa equivalia a 1,5% do PIB de Minas Gerais e 6,4% do PIB do Espírito Santo. Além disso, os impostos que eram gerados diretamente pelas atividades da Samarco correspondiam a 54% da receita de Mariana, 35% da receita de Ouro Preto e 50% da receita de Anchieta (ES).

Programa Força Local

A Samarco lançou, em outubro deste ano, o programa Força Local dedicado ao fornecedor local para fomentar o desenvolvimento nos territórios da área de influência da empresa em Minas Gerais e no Espírito Santo. O programa reúne as demandas apresentadas pelas entidades de classe desses municípios e é baseado em cinco pilares: políticas, capacitação, negócios, monitoramento e desenvolvimento e qualificação. Atividades como workshops, palestras, seminários e rodadas de negócios são realizadas por meio do programa. Mais informações podem ser obtidas por meio do e-mail programaforcalocal@samarco.com.



Fonte: Assessoria de Imprensa Samarco