Notícias - Samarco

Publicado 15/12/2020

Edital seleciona instituições para atuarem em projeto de criação de abelhas sem ferrão no ES

Edital seleciona instituições para atuarem em projeto de criação de abelhas sem ferrão no ES

Inscrições estão abertas até 25/1; projeto visa atender cerca de 80 famílias e proporcionar novas formas de geração de renda

Instituições interessadas em participarem do projeto de geração de renda por meio da criação de abelhas sem ferrão, no Espírito Santo, podem se inscrever no Edital de Chamamento Público Meliponicultura Foz do Rio Doce. O comunicado será publicado no dia 14 de dezembro, e as inscrições ficam abertas de 23 de dezembro de 2020 a 25 de janeiro de 2021 no site da Fundação Renova (www.fundacaorenova.org).

O edital tem como objetivo selecionar até duas instituições que irão atuar no projeto com as comunidades de Regência, Povoação, Areal, Entre Rios e Degredo, todas no município de Linhares, na foz do rio Doce. O projeto visa atender cerca de 80 famílias impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

De acordo com Kadio Serge Aristide, analista de Programas Socioeconômicos da Fundação Renova, além da venda do mel, as famílias também poderão ter renda por meio da comercialização dos subprodutos. “A cera é muito utilizada para uso medicinal e estético. Atualmente, o pólen desidratado, rico em nutrientes, também tem sido vendido como complemento nutricional”, diz Aristide.

Atividade sustentável

A meliponicultura é uma atividade sustentável de criação de abelhas nativas sem ferrão destinada a produção de mel e derivados, preservação das espécies e conservação da biodiversidade. A escolha das abelhas sem ferrão, diferentemente da apicultura, levou em consideração a vocação da região, a segurança dos produtores e a facilidade de manipulação. A produção também pode ser feita em área urbana, e o mel é considerado de excelente qualidade e de alto custo-benefício no mercado.

Cerca de 90% das espécies de árvores da Mata Atlântica dependem das abelhas sem ferrão para se reproduzirem, pois elas são responsáveis pela polinização.

O mel das abelhas sem ferrão também está sendo valorizado pela gastronomia, pois esse ingrediente tem mais acidez e mais nuances de aromas e sabor. Em um cenário de resgate e valorização de ingredientes brasileiros, os produtos das abelhas nativas foram adotados por grandes chefs e gradativamente vêm ganhando espaço na casa dos brasileiros.

Ciclos do edital

O projeto terá dois ciclos. O primeiro cuidará de planos estratégicos de multiplicação de abelhas nativas sem ferrão e assessoria técnica para diversificação da produção e organização da cadeia produtiva. Já o segundo terá enfoque no processamento, beneficiamento e prospecção do mercado do mel, pólen e outros produtos derivados da criação de abelhas.

As organizações interessadas em participarem dos ciclos deverão enviar até duas propostas, uma para cada ciclo intencionado. Caso a organização apresente propostas capazes de atender aos dois ciclos, o edital poderá selecionar uma única organização.

As dúvidas técnicas sobre o edital poderão ser enviadas pelo e-mail editalmeliponiculturafoz@fundacaorenova.org, no período de 14 a 20 de dezembro de 2020. As respostas serão publicadas no dia 23 de dezembro de 2020, no site da Fundação Renova.
 
Cronograma do Edital de Chamamento Público Meliponicultura Foz do Rio Doce
- Publicação do edital: 14/12/20
- Envio de dúvidas: de 14 a 20 de dezembro de 2020 por meio do e-mail: editalmeliponiculturafoz@fundacaorenova.org
- Publicação de respostas às dúvidas: 23/12/20 no site da Fundação Renova
- Inscrições: 23/12/20 a 25/1/21
- Período de análise e seleção das propostas: 26/1/2021 a 25/2/2021
- Divulgação dos projetos aprovados: 26/2/21
- Período de contestação: 26/2/21 a 5/3/21
- Divulgação do resultado: 13/3/21
- Formalização dos contratos: 12/4/21
 
Sobre a Fundação Renova
A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão. A Fundação foi instituída por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.
Mais informações sobre a reparação executada até aqui podem ser acessadas em: https://www.fundacaorenova.org/cincoanos/



Fonte: Assessoria de imprensa Fundação Renova