Notícias - Gerais

Publicado 29/04/2020

Novos negócios em tempos de coronavírus

Novos negócios em tempos de coronavírus
Empresários enxergam a crise como oportunidade e investem em novos setores. Há seis anos atuando na locação de mobiliário para festas e eventos, Cíntia Dutra decidiu “arregaçar as mangas” e se lançou a novos desafios.

 “Com a pandemia, a realização das festas deram uma reduzida significativa impactando meu segmento. Mas não desisti. Entendi que essa poderia ser uma oportunidade. Voltei à fábrica e decidi desenvolver móveis”, contou a empresária.

 Com a decisão do novo investimento, Cíntia conta que dobrou seu tempo de trabalho. “Antes da pandemia eu não ficava na linha de frente. Era mais na gestão. Diante desse novo desafio não tive escolha. Precisei me dedicar muito mais que 100% para dar certo”, disse.

 Quem também aproveitou a oportunidade foi o empresário Ivan Machado, que atua no ramo têxtil. Ele decidiu investir no mercado imobiliário e vai trazer ao Espírito Santo a RE/MAX, considerada a maior do mundo em seu segmento de atuação. “Será a primeira franquia das 20 previstas para os próximos dois anos”, afirmou.

 Ao ser questionado sobre a abertura de negócios durante a pandemia que afeta o mundo todo, Ivan diz que o fato não afeta diretamente o seu trabalho se desdobrar no universo digital. “O cliente pode conhecer o imóvel digitalmente, com uma tour 360º, as reuniões serão  realizadas por videoconferência, entre outras comodidades”, contou.

A crise motivou

Cíntia Dutra lembra que a pandemia potencializou um projeto que estava em andamento. “A crise com a pandemia me deu a oportunidade de ter tempo para me dedicar. Agora tenho trabalhado arduamente para ter uma indústria de móveis voltada para segmento de festas, com alto padrão de qualidade. Mesmo agora fizemos contratações, compramos equipamentos e estabelecemos parcerias até com indústrias de outros Estados para compartilhamento de máquinas”, revelou ela.

Agora a meta da empresária é conquistar o padrão ISO de qualidade. Por isso, aproveita o tempo para obter mais conhecimento treinar os funcionários preparando a empresa para essa etapa.

“A realização que tenho sentido nesse momento, mesmo com a crise, é indescritível. Cresci como empresária e como pessoa. Além da satisfação de oferecer vagas de emprego em um momento em que a demissão assombra toda a sociedade”, contou.


Fonte: Criar Comunicação Integrada