Notícias - Fibria

Publicado 23/10/2014

Programa de Restauração Florestal da Fibria supera metas

Programa de Restauração Florestal da Fibria supera metas

Em três anos, a empresa já cumpriu mais de 20% da meta de restaurar 40 mil hectares até 2025

O Programa de Restauração Florestal da Fibria desenvolvido nos estados do Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais têm alcançado resultados que mostram a importância da maior iniciativa em curso no país visando à restauração da Mata Atlântica.

Em três anos, desde o início do programa, a empresa já realizou ações de restauração em aproximadamente 8.800 ha de Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal. Isso equivale a 22% da meta, que é restaurar 40 mil hectares até 2025. As áreas em restauração são monitoradas visando adotar melhorias operacionais e contribuir para sua qualidade ambiental..

A restauração florestal visa estabelecer o aumento da biodiversidade e a geração de inúmeros serviços ambientais, com a utilização de técnicas como o plantio de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, condução da regeneração natural, enriquecimento com alta diversidade de espécies e controle de espécies exóticas invasoras.

A Fibria possui mais de dez viveiros parceiros, que adquirem sementes regionais das espécies nativas do bioma Mata Atlântica e produzem as mudas para atender seu programa. Segundo o coordenador  de Meio Ambiente Florestal da Fibria, Juliano Dias, quatro viveiros estão incluídos como projetos socioambientais, por terem como foco principal a geração de emprego e renda ou ainda a oportunidade de profissionalização de jovens. “Em toda a cadeia de restauração desenvolvida pela empresa são gerados aproximadamente 600 empregos diretos, prioritariamente alocados nas áreas de atuação da empresa”, informou Juliano.

Para isso, conta com a parceria do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica e do Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal da Universidade de São Paulo (LERF/ESALQ/USP). A empresa é signatária do Pacto e contribui com sua meta de recuperação de 15 milhões de hectares no país até o ano de 2050.

Em junho, o coordenador de Meio Ambiente Florestal da Fibria, Juliano Dias, representou a empresa na International Union for Conservation of Nature (IUCN), realizado no México. Como resultado desse encontro, será criado um grupo de trabalho brasileiro, coordenado pelo Pacto pela Restauração da Mata Atlântica. “O  objetivo é potencializar os ganhos sociais promovidos pela restauração, em especial quanto à geração de emprego e renda nas comunidades inseridas nas regiões onde se concentram as principais iniciativas de restauração da Mata Atlântica brasileira”, explicou Juliano Dias.