Notícias - Fibria

Publicado 11/02/2014

Jovens do sul da Bahia capacitados a operar máquinas florestais

Jovens do sul da Bahia capacitados a operar máquinas florestais

O grupo de 22 jovens concluiu o curso de capacitação numa iniciativa da Fibria em parceria com o Senai-BA.

A primeira turma do curso “Aprendizagem em operador de máquina florestal” do sul da Bahia se forma na próxima quinta-feira, dia 09 de janeiro. O grupo, composto por 22 jovens de diversas comunidades da região, participou do curso realizado pela Fibria em parceria com o Senai-BA, que teve início em junho de 2012, e agora está apto a operar máquinas florestais. A formatura acontece no Auditório da Faculdade Pitágoras, em Teixeira de Freitas (BA), a partir das 19 horas.

Além das aulas teóricas, durante o período do curso os alunos foram a campo e desenvolveram toda a prática da operação, com orientações sobre segurança, técnicas de processamento nos equipamentos harvester (que colhe o eucalipto) e forwarder (trator florestal que empilha a madeira).

Com idade entre 18 e 22 anos, os jovens que participaram do curso são das comunidades de São José, Cana Brava, Aparaju, Cutia, Fura Coco, Pau da Garrafa, São Bernardo e Rancho Queimado, no município de Alcobaça, e das comunidades de Juerana, Km 58 e Vale-me Deus, no município de Caravelas.

Nos 18 meses em que participaram do curso, os jovens foram contratados pela Fibria conforme a Lei do Aprendiz, recebendo salário e benefícios, como seguro de vida em grupo, plano de saúde, alimentação, transporte e também o custeio para retirada da Carteira Nacional de Habilitação. “Um diferencial deste programa é a viabilização da participação de jovens das comunidades rurais num curso de qualificação em Teixeira de Freitas, fundamental para que eles tenham  uma maior empregabilidade após a formação e, consequentemente, melhor condição social. Eles estão totalmente aptos para ingressarem no mercado de trabalho como operadores de máquina florestal”, destaca a coordenadora de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Fibria, Maria Inês Modenese Recla.

Para o jovem Leandro Pereira, de 22 anos, participar do curso foi a realização de um sonho. Ele, que é da comunidade de Cana Brava, conta que, desde criança, via os profissionais que trabalhavam com a colheita do eucalipto e sempre teve vontade de atuar na área. “Com esse curso, aprendi não só uma nova profissão, mas também a me relacionar melhor com as pessoas e a dar valor ao meio ambiente. A iniciativa é muito importante, pois nos dá novas perspectivas de futuro. Para quem mora na zona rural, as coisas normalmente são mais difíceis”, destaca o formando.

A iniciativa faz parte da estratégia da Fibria para criar e fortalecer oportunidades para que as comunidades vizinhas às suas operações participem de forma inclusiva da atividade florestal. Nesta mesma iniciativa de qualificação, a Fibria, em parceria com o Senai-ES, já formou uma turma de 20 operadores de equipamentos florestais em Conceição da Barra (ES), em 2012, e está formando 20 mecânicos da máquina florestal em São Mateus (ES).

Fonte: Pauta 6 Comunicação